Com a proposta de unir diversas vertentes artísticas, como a música e as artes visuais, o Festival Hacienda se manifesta na cena cultural de João Pessoa. Após um intervalo entre suas edições, o Festival retorna e visa movimentar o centro histórico da cidade, além de promover um intercâmbio entre as bandas que nele se apresentam.

Este ano, o Hacienda acontece nos dias 20 e 21 de janeiro, sendo o primeiro uma prévia musical e no segundo dia shows com atrações de outros estados. Os ingressos promocionais para a prévia podem ser adquiridos pela internet e custam R$ 10. Para o domingo, os ingressos estão no primeiro lote e também podem ser comprados nos pontos físicos: Lojas Furtacor do Mag Shopping e do Shopping Sul, assim como no local do evento.

O produtor geral do Festival, Felipe Matheus Lima, anseia por uma boa experiência do público nesses dois dias. “A gente espera que o festival ganhe ainda mais espaço e chegue a ser esperado todo ano pelo público, que ganhe mais atenção do poder público como um festival importante pela cultura independente da cidade. E com isso possamos dar continuidade a esse trabalho que viemos construindo de um festival sustentável”, destacou.

Atrações e o fortalecimento da cena independente
O Centro Cultural IAB-PB (Casa dos Arquitetos) foi o local escolhido para esta edição do Hacienda, que inicia sua programação às 17h. Entre as atrações estão Berra Boi, um trio instrumental paraibano, que carrega uma sonoridade urbana com referências em música latina, cúmbia, dug e baião, o que resulta num som mais dançante. Kalouv, um grupo pernambucano que se destaca na música instrumental, em cinco anos de formação já participaram de diversos festivais pelo Brasil e aproveita o Hacienda para lançar o novo álbum “Elã”. Outra atração de Pernambuco é a RφKR, um projeto que esteve para há um tempo e agora volta com psicodelia e canções em inglês.

Kalouv – (foto de Hannah Carvalho).

O cenário musical potiguar também é bastante evidente. A banda Luísa e os Alquimistas é exemplo disso. Prestes a tocar no palco do Hacienda, e liderada pela cantora Luísa Guedes, eles trazem uma sonoridade dançante, mas também pairam em alguns momentos. Letras sentimentais e brega também contribuem para o som conceitual da banda. Outra banda do Rio Grande do Norte, que se apresenta no Festival, é a Mahmed. O quarteto de Natal traz referências alternativas ao som que produzem, também com um vasto passeio por festivais importantes.

Francisco, el hombre é uma das atrações mais aguardadas desta edição do Hacienda. Segundo Felipe, será um show histórico para o Festival. A banda, que além de estar com a música “Triste, Louca ou Má” na novela O Outro lado do Paraíso, e de estar no line up do Lollapalooza deste ano, foi formada por dois irmãos mexicanos, mas naturalizados brasileiros. Com cinco músicos, o quinteto mistura elementos musicais desses países e fazem um “transculturalismo transamericano ruidoso”.

Prévia com pôr do sol e bandas locais
Para apreciar e curtir o som das bandas locais, acontece, no sábado (20), às 17h, a prévia do evento, na Miragem Casa Cosmopopeia, localizada na Ladeira da Borborema, e que tem uma das vistas mais privilegiadas do pôr do sol da cidade. As bandas Vieira, Bicho Grilo e Flor de Pedra, que transitam no cenário musical independente de João Pessoa, levarão suas canções até o anoitecer.

Banda Flor de Pedra (foto: Emanuel Alves)

Criatividade à venda
Como pode ser observado em outros eventos independentes da cidade, além de shows, a programação do festival destaca a instalação de uma feira criativa, onde serão montadas barracas e estandes de lojas caseiras de João Pessoa para a venda de produtos e culinária artesanal, além de outros artefatos.

Programação

Sábado (20) – 17h
Prévia do Festival Hacienda
Local: Casa Cosmopopeia (Ladeira da Borborema)
Bandas locais Vieira, Bicho Grilo e Flor de Pedra.

Domingo (21) – 17h
Hacienda Festival 2018
Local: Centro Cultural IAB – (Rua Padre Antônio Pereira – Varadouro)
Francisco, El Hombre (SP)
Luísa e os Alquimistas (RN)
Mahmed (RN)
Kalouv (PE)
RφKR (PE)
Berra Boi (PB)