A noite de sábado (27) foi um marco memorável para a cultura paraibana. Artistas e amantes da música, em palco e em arena, puderam acompanhar a premiação da finalíssima da primeira edição do Festival de Música da Paraíba. Os resultados foram os seguintes: em primeiro lugar ‘Imprópria’, composição e interpretação de Chico Limeira; em segundo ‘Capitu’, composição e interpretação de Tom Drummond; em terceiro ‘Sopro da Loca’, composição de Renato Anderson e interpretação do Quarteto Avuô; e na categoria melhor interpretação, novamente, Chico Limeira. Os quatro ganhadores dividiram o prêmio de R$20 mil.

Foto: Thercles Silva

Resistência

Em todas as canções, a tônica era resistência popular. O Festival começou com a crítica ao discurso de ódio nas mídias e pela imprensa com a canção ‘Chame pelo nome’ de Titá Moura. ‘Sopro da loca’ (Quarteto avuô), ‘Parahyba mood’ (Levi Blues) e ‘Até quando o sertão virar mar e o mar virar sertão’ (Marcos Vinícius) fizeram o chamado pela valorização da cultura popular brasileira.

A força do empoderamento feminino também esteve presente nas vozes de Polyana Resende com ‘Um samba a dois’ e Cida Alves com ‘Tectônica’. A presença em palco das duas contrastaram com a falta de representação de  mulheres na comissão do Festival, formada apenas por homens.

Chico, o Limeira

A grande canção da noite fez referência aos nomes de ruas, praças, escolas e repartições que carregam nomes de políticos, sobretudo os que fizeram parte do regime militar no Brasil. “2018 vai ser um ano que vai exigir da gente enquanto ser humano, vamos nos juntar, nos organizar, vamos nos posicionar. Viva a música da Paraíba”, foram as palavras que ecoaram de Chico, junto com o grito do público de pé aplaudindo.

Limeira ganhou o primeiro lugar e Melhor Interpretação com a música ‘Imprópria’ e levou R$ 12 mil para casa.

Foto: Thercles Silva

Chico, o César

Fechando a noite, um dos grandes expoentes da música paraibana encerrou a edição do festival homenageando a cultura do Estado e celebrando as novas vozes que se apresentaram neste Festival de Música da Paraíba. Tocando os grandes sucessos da sua carreira e alternando com o seu último trabalho, “Estado de Poesia” (2015), Chico César se apresentou para o público. E não poderia ter sido melhor: com o Teatro de Arena pulsando a resistência, a cultura e a música.

 

Foto: Thercles Silva