Barro: um árcade pop
0.5Pontuação geral

Trabalho minucioso, sensível, metafórico e poético. Todas essas características são notórias em Miocárdio, trabalho solo primogênito do músico pernambucano Barro, que é natural da cidade do Recife. O cantor, que também é guitarrista e idealizador da Bande Dessinée, entra fortemente no quadro atual da cena pop nacional com esse disco, podendo ser um expoente promissor na região Nordeste do país.

As letras do disco remetem nitidamente ao bucolismo, ao Fugere Urbem (fugir da cidade), Carpem Diem (aproveitar o dia), características de um movimento literário de alguns séculos atrás: o arcadismo. Claro, conscientemente, o músico pode não ter a influência do movimento, mas é um literato árcade musical. É como se o cantor escrevesse cartas para alguém.

Fiquemos atentos a essa nova geração, em constante crescente, de músicos-poetas, compositores e produtores dessa parte do país.

“No rosto eu vejo a flor sorrir” Piso em Chão de Estrela

“Ela beijou a Lua
E se perdeu no Cais
E nos perdemos tanto
Que a gente nem sabia
Se era meia-noite
Ou o sol do meio-dia” Poliamor

O álbum tem um volume musical que chama atenção. Explico: percebe-se, na maioria de suas músicas, a preocupação e cuidado com as variações de samplers, e, a junção desses com os ritmos latinos e regionais. Isso somado as letras resulta em uma melodia explícita, a exemplo de “Mata o Nêgo” e “Piso em chão de Estrela”. Quando não são os samplers, está inserido em Miocárdio os tambores e os metais, puramente latinos, como em “Volver” e “Nouvelles Vagues”.

Para criar e findar, uma produção deste tipo, necessita de colaborações. Eis, então, que Miocárdio conta com participações de peso, como: Catalina García, Juçara Marçal, Lisa Moore, Serena Altavilla, o baixista Alexandre Dengue (Nação Zumbi), Gui Amabis (produtor de Céu), além dos músicos Ricardo Fraga (bateria, sampler, spds e baixo) e GuilhermeAssis (baixo,sintetizador, teclado e sampler), que acompanham o cantor Barro.

 “E QUEM VAI SER O PRIMEIRO A SER DEUS?” Despetalada

De todo o álbum, “Despetalada” é a  música que mais me tocou . Profunda, nos deixa estático, pensativo. Só escutem.

Miocárdio nos deixa uma mensagem simbólica, o contraste de que a simplicidade pode se multiplicar nas transformações do mundo, a cada segundo. Miocárdio é só o impulso da estrada musical de Barro.

Ouça o disco:

Show em João Pessoa

capa-do-disco

Barro se apresenta nesta sexta-feira, 30, às 21h00, na Usina Cultural Energisa e contando com as participações de Seu Pereira e ChicoCorrea, além da banda Vieira que irá abrir a noite.

Ingressos: R$ 10 antecipado meia / R$ 20 inteira
Na hora: R$ 15 meia / R$ 30 inteira
Ingressos online: http://goo.gl/sU2o35
Pontos de venda: Lojas Furta Cor Mag Shopping e Shopping Sul